no , , ,

Restituição do IR: ATENÇÃO ao COMUNICADO da Receita Federal para quem não recebeu!

Contribuintes que ainda não receberam a restituição do imposto de renda 2023, devem estar atentos ao comunicado emitido pela Receita Federal. Confira!

Restituicao do IR: ATENCAO ao COMUNICADO da Receita Federal
Restituicao do IR: ATENCAO ao COMUNICADO da Receita Federal

A Receita Federal pagou recentemente o 5° é último lote da restituição do IR (imposto de renda) 2023, contudo, essa semana o órgão emitiu um comunicado urgente direcionado aos contribuintes que não foram contemplados em nenhum dos lotes da restituição.

O comunicado foi compartilhado nas redes socias da Receita Federal e se você faz parte dos contribuintes que aguardam, mas não receberam a restituição, esse texto é para você.

De antemão, de acordo com a RF, boa parte de quem poderia receber a restituição, mas não recebeu, foi porque caiu na “malha fina do leão”.

Portanto, em seu comunicado, a Receita Federal informa que é preciso que esses contribuintes corrijam as informações da sua declaração do IR.

Caso não o façam, além de não receberem a restituição, ainda terão que pagar uma multa e em alguns casos, podem até sofrer um processo de sonegação de imposto.

A multa é de 75% do valor do imposto mais a correção pela Selic.

Entretanto, não precisa se preocupar, pois o processo para saber se você realmente caiu na malha fina é bem simples, basta acessar o portal e-CAC.

Após acessar o portal, selecione a opção “Meu Imposto de Renda”.

Em seguida, escolha a opção da Declaração com ano base 2022 e verificar se há alguma informação errada ou incompleta.

A seguir vamos conferir todos os detalhes do comunicado da Receita Federal sobre a restituição do IR de quem não recebeu.

Restituição – Receita detêm cerca de 1 milhão declarações de IR

De acordo com a Receita Federal, foram entregues em 2023 cerca de 41,5 milhões de declarações de imposto de renda. Um número recorde.

Desse total, aproximadamente 60% têm direito a receber a restituição e 3,1%, cerca de 1,3 milhão de declarações, caíram na malha fina.

Esses que caíram na malha fina, precisam fazer a correção de alguma informação que colocou na declaração.

Ainda segundo a Receita Federal, mais de 50% dos erros envolvem falhas nas deduções dos impostos, principalmente com despesas médicas (58,1%).

Outro erro recorrente é deixar de informar o recebimento de algum valor, assim como a diferença dos valores declarados para os retidos na fonte.

Como resolver o problema com a Receita Federal?

Quem caiu na malha fina pode enviar a Receita Federal a chamada Declaração Retificadora, na qual é possível corrigir o erro na declaração original.

Todo o processo é feito diretamente pela internet, através o mesmo sistema onde foi feita a declaração.

Nos casos mais complexos, a Receita Federal envia uma intimação ao contribuinte para que ele/ela compareça ao órgão para prestar esclarecimentos.

Nesses casos, será necessário apresentar ao órgão a documentação que o órgão exigir para comprovação das informações que estavam na declaração.

A documentação também pode ser enviada pela internet, mas não através da declaração retificadora.

O contribuinte não deve ignorar a notificação da RF

Se por acaso o contribuinte receber a notificação da Receita Receita Federal e não regularize sua pendência junto ao Fisco, a multa é de 75% sobre o imposto devido, corrigida pela variação da Selic.

Contudo, se a RF identificar que houve qualquer tipo de fraude na declaração, o valor da multa será de 150% sobre o imposto a pagar.

Todavia, caso o contribuinte não responda a intimação da RF, esse valor sobe para 225%

Se após tudo isso, mesmo assim o contribuinte não resolver o problema, ele passa a figurar no Cadastro Informativo dos Créditos não Quitados de Órgãos e Entidades Estaduais (Cadin). 

O Cadin é o sistema de dados que registra o nome das pessoas que possuem débitos com os órgãos e entidades federais.

Mas, se você pensa que acabou por aí, se engana. Se mesmo após todo esse processo, o contribuinte não atender a intimação, a Receita vai protestar a declaração em cartório, o que pode levar a questão para a esfera judicial por crime tributário.

Além disso, o contribuinte ainda corre o risco de ficar com o CPF irregular.

Por fim, para mais notícias sobre a restituição do imposto de renda, clique aqui.