no , ,

Qual o PRAZO para trocar o RG pela CIN? Conheça a nova identidade!

A CIN (Carteira de Identidade Nacional) vai substituir o RG e passará a ser o novo documento de identidade dos brasileiros e brasileiras. Confira os prazos para trocar os documentos.

PRAZO para trocar o RG pela CIN? Conheça a nova identidade
PRAZO para trocar o RG pela CIN? Conheça a nova identidade

Muitas pessoas estão se perguntando sobre a criação da CIN (Carteira de Identidade Nacional), que vai dar fim ao RG, assim como é o prazo para fazer a troca dos documentos.

Junto com o “novo RG”, vieram também algumas novidades que irão trazer mais segurança e muitas vantagens aos cidadãos e cidadãs brasileiras.

Uma das mudanças mais curiosas que a CIN trouxe é o fim do numero do RG. A partir de agora, o CPF se tornará o único número de identificação oficial de todo cidadão brasileiro.

Segundo o governo federal, a substituição do RG pela CIN é um marco significativo na modernização da identificação civil no Brasil.

O motivo disse é que o RG é um documento estadual e assim, caso o cidadão tenha um RG do estado do Ceará e queira tirar um outro RG em São Paulo, por exemplo, ele terá dois números de RG.

Assim, a forma que o governo encontrou de simplificar essa situação, foi excluir o número do RG

A seguir, veja todos os detalhes dessa e de outras novidades do novo RG, ou melhor, CIN e o prazo para substituição do documento.

Sai o RG e entre o CIN

Atualmente, nós brasileiros(a), temos uma série de documentos que usamos para identificação pessoal, cada um com um número diferente, por exemplo:

  • Certidão de nascimento;
  • Documento de Identidade (Registro Geral – RG);
  • CPF;
  • Título de eleitor.
  • CNH (Carteira Nacional de Habilitação)

É através desses documentos que nós, cidadãos e cidadãs, podemos garantir nossos direitos.

Agora é a CIN que vai garantir esses nossos direitos através apenas do número do CPF (Cadastro de Pessoa Física), que será o número oficial de identificação do cidadão(a).

O CPF, por exemplo, é um documento utilizado para inúmeras finalidades, mais até mesmo que o próprio RG, como:

  • Imposto de Renda;
  • Abertura de contas bancárias e solicitação de crédito;
  • Solicitação de passaporte;
  • Votação;
  • Compras online e consumo gerais;
  • Cadastros em sites/empresas;

Dessa forma, com extinção do RG, todos os brasileiros(a) terão apenas um único documento de identificação, a CIN.

O novo documento oferece uma segurança muito maior ao cidadão(a), além de possuir um chip com informações biométricas, como foto, impressão digital e assinatura.

Outra novidade é que o documento será confeccionado em policarbonato, ou seja, mais prático, moderno e resistente ao tempo.

Mudança que promove a cidadania

Aliás, uma mudança muito importante no novo documento, foi a inclusão do campo nome social.

A decisão de se alterar dois campos da CIN, retirando as informações sobre sexo e o dado que fazia distinção entre o nome social e o nome de registro civil.

O propósito é criar um documento que atenda a pluralidade de demandas de inclusão da sociedade, principalmente as da comunidade LGBTQIA+.

É uma forma de permitir a inclusão e o direito a cidadania das pessoas transexuais e travestir a se identificarem pelo nome social que escolheram.

Prazo e como solicitar a CIN, o novo RG dos brasileiros(a)

Contudo, não se preocupe em correr para substituir o seu RG e desfrutar das novidades do documento.

Os estados tem um período de 10 anos para se adequarem às alterações para emitirem uma nova versão da carteira de identidade. Ou seja, a RG antigo tem validade até fevereiro de 2032.

Outra mudança é no prazo de validade do documento, que agora tem prazos distintos para faixas etárias diferentes.

São três validades diferentes, conforme a idade dos cidadãos.

Os novos prazos serão:

– 5 anos para crianças até 12 anos incompletos.

– 10 anos para pessoas que têm entre 12 e 60 anos de idade

– Validade é indeterminada para quem tem acima de 60 anos.

Os documentos necessários para solicitar a CIN são, a saber:

  • CPF original;
  • Documento de identificação oficial com foto (RG, carteira de motorista ou passaporte);
  • Comprovante de residência.

Ademais, a emissão da 1° via é gratuita para todos os cidadãos(a) e já está disponível em todo o território nacional.

Por fim, para mais notícias sobre direitos e cidadania, clique aqui.