no , , ,

Presidente Lula convoca reunião ministerial em resposta à tragédia no Rio Grande do Sul

Tragédia no Rio Grande do Sul: Presidente Lula convoca reunião ministerial

Lula mobiliza Governo em Resposta ao Ciclone no RS
Lula mobiliza Governo em Resposta ao Ciclone no RS

O recente desastre natural que assolou o Rio Grande do Sul, gerado por um ciclone extratropical, está mobilizando o governo brasileiro. Na tarde do dia 12 de setembro de 2023, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) convocou uma reunião com o comitê interministerial, a fim de discutir novas estratégias de auxílio às vítimas.

O estado gaúcho enfrenta fortes chuvas e enchentes há mais de uma semana, causando graves danos e, infelizmente, algumas perdas humanas. Já são contabilizados 47 óbitos e ainda há 8 pessoas informadas como desaparecidas.

Como estão as ações do governo frente à tragédia no Rio Grande do Sul?

O comitê interministerial, criado pelo então presidente em exercício Geraldo Alckmin (PSB), já se encontra em ação monitorando a situação e coordenando as ações de resgate e assistência às vítimas. Porém, a presença física do Presidente Lula na região tem sido cobrada pela população.

Onde estava o presidente Lula durante a tragédia?

Na semana passada, o Presidente estava em compromissos oficiais em Brasília e na Índia. Lula participou do desfile de 7 de Setembro, comemoração da independência do Brasil, em Brasília, e no dia 8 seguiu viagem para a Índia, onde participou da cúpula dos líderes do G20. Retornou ao Brasil somente no dia 11 de setembro de 2023, às 23h.

Qual a situação atual no Rio Grande do Sul?

Segundo a Defesa Civil, 340.928 pessoas foram afetadas no estado, com 4.794 desabrigados e 20.517 desalojados. Nos 97 municípios atingidos, 3.130 pessoas foram resgatadas. Em uma ação de solidariedade, o governo do RS estabeleceu uma chave PIX para receber doações de quem deseja auxiliar às vítimas das enchentes.

Este é um momento crítico e de necessidade de união. O empenho do governo e da população é crucial para que a situação seja contornada e para que as vítimas possam receber o suporte necessário. Atualmente, a maior necessidade é ajudar aqueles que foram afetados diretamente pelas enchentes e continuar trabalhando para restabelecer a ordem no estado.