no , , , ,

Motoristas da UBER ganham na justiça direito a CARTEIRA ASSINADA

Confira a seguir todos os detalhes da decisão judicial garantiu aos motoristas da Uber o direito de ter a carteira de trabalho assinada. Veja também o posicionamento da empresa.

Motoristas da UBER tem direito a CARTEIRA ASSINADA
Motoristas da UBER tem direito a CARTEIRA ASSINADA

Os motoristas da Uber tiveram uma grade vitória na justiça e garantiram o direito da formalização do vínculo trabalhista com a empresa, ou seja, terão a sua carteira de trabalho assinada

As profissões desenvolvidas através de aplicativos são novas, portanto, não existe ainda uma regulamentação dentro da legislação trabalhista que norteie essa nova relação de trabalho e prestação de serviço.

Inclusive, para muitos motoristas da Uber, dirigir deixou de ser uma renda complementar para a ser a única fonte de renda.

De acordo com números mais recentes, o Brasil possui atualmente cerca de 1,27 milhões de motoristas de aplicativo.

No entanto, são inúmeras as reclamações da categoria sobre as condições de trabalho e a falta de direitos trabalhistas e previdenciários. Justamente por conta da falta de uma regulamentação do setor.

Contudo, uma decisão da justiça parece que veio para mudar essa realidade e determinou que a Uber assine a carteira de todos os seus motoristas.

Obviamente que os motoristas da empresa comemoraram. Mas você sabe qual foi posicionamento da empresa?

Pois bem, veremos esse e todos os outros detalhes sobre essa decisão da justiça conta a Uber e favor dos motoristas a seguir.

Motoristas da Uber vão ter carteira de trabalho assinada?

Quem moveu a ação foi o Ministério Público ainda em 2021, diante de uma denúncia da Associação dos Motoristas Autônomos de Aplicativos (AMAA) sobre as condições de trabalho através do aplicativo Uber.

Na decisão judicial, o juiz Maurício Pereira Simões, da 4ª Vara do Trabalho de São Paulo determinou que a empresa além de assinar a carteira de todos os seus motoristas, ainda pague uma multa R$ 1 bilhão, por danos morais coletivos.

De acordo com o juiz, a Uber se omitiu das suas obrigações com a legislação trabalhista, deixando assim seus trabalhadores desprotegidos.

O valor da indenização será distribuída entre o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e a associações de motoristas de aplicativos.

O prazo para a Uber cumprir a decisão é de 6 meses. Em caso de descumprimento, a multa é de R$ 10 mil por dia para cada motorista.

A vitória na Justiça é definitiva?

É importante considerar que a Uber conta com um total de 1 milhão de motoristas cadastrados, em média, na sua plataforma, que funciona em mais de 550 cidades ao redor do Brasil.

Entretanto, a Uber chama a atenção de que essa é uma medida de 1° instância da justiça, tomada pela 4ª Vara do Trabalho de São Paulo no dia 14 de setembro.

Dessa forma, ainda cabe recurso e empresa já recorreu da decisão.

E de acordo com empresa, essa condenação causa uma enorme insegurança jurídica para o setor.

Inclusive, em sua defesa, a Uber apresentou sentenças judiciais de outros países, onde esse vinculo trabalhista foi rejeitado pela justiça.

Contudo, de acordo com a Uber, caso a decisão seja mantida nas instâncias posteriores, a empresa deverá rever a sua permanência no país.

Portanto, A Uber, que atua no Brasil desde 2014, agora corre o risco de encerrar os seus serviços por aqui.

Por fim, para mais notícias sobre serviços de aplicativos, clique aqui.