no

Montadoras Pedem Mais Subsídios e Programa de Desconto Patrocinado em Carros Populares Pode Acabar

Pedido de montadoras por mais subsídios para carros populares indica fim próximo do programa

Carros Populares: Montadoras Reivindicam Mais Verbas
Carros Populares: Montadoras Reivindicam Mais Verbas

Montadoras solicitaram o aumento das verbas para subsídios na venda de carros populares. Com isso, o programa de “desconto patrocinado” do governo está prestes a acabar, somando agora R$ 420 milhões de um total de R$ 500 milhões disponíveis para a categoria. Entre as empresas que pediram recursos adicionais estão Renault e Nissan, com R$ 10 milhões cada.

Os subsídios tiveram como objetivo estimular a venda de veículos sustentáveis e populares, com valor até R$ 120 mil, e têm sido um sucesso, aumentando significativamente a procura pelos carros com desconto oferecido pelo governo. Até mesmo SUVs mais caros tiveram preços reduzidos para se enquadrarem no programa.

Quais montadoras já participam do programa?

FCA Fiat Chrysler, líder na liberação de dinheiro pelo governo, liberou R$ 170 milhões até o momento. Volkswagen conseguiu R$ 60 milhões, enquanto Renault já recebeu R$ 50 milhões. Peugeot/Citroën e Hyundai vêm em seguida, com R$ 40 milhões cada, e Nissan e General Motors – Chevrolet estão empatadas com R$ 20 milhões cada. Honda e Toyota fecham a lista, ambas com R$ 10 milhões.

Exclusividade para pessoa física é prorrogada

O governo federal decidiu prorrogar por mais 15 dias a exclusividade para pessoas físicas adquirirem carros com desconto patrocinado. Essa medida frustrou empresas e locadoras de veículos, que pretendiam aproveitar os benefícios do programa, agora só podendo fazê-lo a partir de 6 de julho.

Pressão por mais subsídios e possível ampliação do programa

Diante do sucesso e da alta procura pelos carros com desconto patrocinado, há pressão no governo para aumentar a verba destinada ao programa, já que os R$ 500 milhões previstos devem acabar antes mesmo dos 30 dias estipulados pela Anfavea (associação das montadoras). Autoridades e o próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva têm emitido declarações divergentes sobre a possibilidade de ampliação ou prorrogação do programa.