no , , ,

Lula diz que vai aperfeiçoar novo Ensino Médio

Novo Ensino Médio aprovado em 2017 e implantado em 2022 e criticado pelo presidente Lula vai passar por um aperfeiçoamento pelo Ministério da Educação

Lula diz que vai aperfeicoar novo Ensino Médio
Lula diz que vai aperfeicoar novo Ensino Médio

O presidente Lula (PT) tem toda a razão de não querer implantar um modelo de Ensino Médio herdado do governo Bolsonaro, quando a Secretaria de Educação estava sobre a gestão de um bando de pastores pistoleiros e corruptos.

Portanto, a ideia do governo, a princípio, era revogar o modelo do Novo Ensino Médio, mas infelizmente isso não será possível. Dessa forma, restou ao governo propor aperfeiçoá-lo.

“Nós vamos suspender por um período, até fazer um acordo que deixe todas as pessoas satisfeitas com o ensino médio nesse país”, completou o presidente

A saber, a declaração foi dada por Lula na última quinta-feira, 06.

E de acordo com o presidente, inicialmente o governo vai suspender, para ter tempo de aperfeiçoar a proposta educacional para o Ensino Médio.

“Não vamos revogar. Suspendemos e vamos discutir com todas as entidades interessadas em discutir como aperfeiçoar o ensino médio nesse país”, disse, durante um café com jornalistas no Palácio do Planalto.

Lula diz que vai aperfeiçoar proposta educacional para o Novo Ensino Médio

Conforme afirmou presidente Lula, a ideia de revogar o Novo Ensino Médio foi proposta por um grupo de trabalho composto por pedagogos(a) e educadores de diferentes aéreas do conhecimento ainda durante o período de transição do governo.

“Nós vamos suspender por um período, até fazer um acordo que deixe todas as pessoas satisfeitas com o ensino médio nesse país”, completou o presidente.

Por fim, na última quarta-feira, 05, o ministro da Educação, Camilo Santana, publicou a portaria que prevê a suspensão da implementação do Novo Ensino Médio.

A saber, o documento estipula um prazo de 60 dias para que se promova uma reestruturação da política nacional do Ensino Médio, de acordo com consulta pública aberta pelo governo.

Remédios vão ter aumento de 5,6%

De acordo com a Sindusfarma (Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos) os remédios tiveram um aumento médio de 5,6% no início do mês abril.

A média foi calculada com base nas regras de reajuste anual. Isso porque, todos os anos o mês de abril é o mês do aumento no preço dos remédios.

Essas regras, por sua vez, devem seguir as resoluções, publicada no Diário Oficial da União, na qual as empresas não podem vender os remédios a preços superiores aos determinados pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed).

Além disso, os reajustes nos preços devem ter ampla divulgação em grandes veículos de comunicação.

Assim como também devem estar à disposição dos consumidores a lista atualizada de preços dos medicamentos.

Cerca de 10 mil remédios sofreram aumento nos preços nesse início de mês.

O reajuste ocorre anualmente, a partir de 31 de março, como determinação da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed).

Para mais notícias sobre ações do governo Lula, clique aqui.