no , , ,

Facebook pode acabar? DEMISSÕES recentes chegam a 6 mil FUNCIONÁRIOS

Muitas empresas de tecnologia estão passando por uma fase de demissões em massa, entre elas o Facebook, que emplacou mais uma rodada de demissões.

Facebook pode acabar? DEMISSÕES chegam a 6 mil
Facebook pode acabar? DEMISSÕES chegam a 6 mil

O Facebook, empresa de tecnologia do bilionário estadunidense Mark Zuckerberg, se tornou a principal plataforma de rede social do mundo, superando o número de 2 bilhões de usuários ainda em julho de 2017 está passando por uma crise e está demitindo milhares de funcionários.

A plataforma foi criada em 2004 e passou por algumas mudanças, inclusive no nome da empresa responsável pelo Facebook, que agora é Meta.

Não é novidade para ninguém que as grandes empresas de tecnologia, conhecidas como BigTechs, estão passando por uma fase de reestruturação.

E entre as principais medidas que empresas como o Facebook tem adotado nesse processo é a demissão de milhares de funcionários e funcionárias.

Assim, desde o ano passado, o Facebook deu início a uma onda de demissões em massa e na onda mais recente demitiu mais de 6 mil funcionários.

Em seguida entenda qual são os motivos que estão por trás de tantas demissões no Facebook.

Facebook promove nova rodada de demissões

No dia 24 de maio, o Facebook confirmou a demissão de mais 6 mil funcionários. A demissão desses funcionários já estava prevista desde o ano passado, como anunciou a Meta ainda em março desse ano.

A princípio, a ideia da Meta é reduzir o quadro de funcionários da empresa em ¼ até o final de 2023.

Zuckerberg até deu um nome para as ondas de demissões em massa da sua empresa, batizou o como “Ano da Eficiência”.

Na primeira onda de demissões, em abril, o Facebook demitiu 4 mil funcionários e funcionárias.

Posteriormente demitiu mais 11 mil de uma só vez e agora mandou embora mais 6 mil de seus colaboradores.

Ou seja, são 21 mil colaboradores que o Facebook mandou embora desde o fim de 2022.

E para completar, o Facebook ainda suspendeu o processo de recrutamento de novos colaboradores.

Meta realiza reestruturação da empresa

Dona do Facebook, Instagram e Whatsapp, a Meta, mesmo tendo resultados positivos em 2022, insiste na demissão de funcionários.

E de acordo com Mark Zuckerberg, as demissões são apenas o início de uma medida de reestruturação da empresa, com o intuito de economizar dinheiro, de forma a diminuir a sua estrutura organizacional.

Entre os investimentos mais recentes da Meta está uma unidade de Reality Labs, que é voltada para o desenvolvimento do metaverso.

Projeto que consumiu somente em 2022, cerca de US$ 13,7 milhões.

Sem contar no investimento no desenvolvimento de inteligência artificial para aplicação nas plataformas da empresa.

Então, não se preocupem com o fim do Facebook, pois não existem nenhum indicio de que o seu fim esteja próximo.

Por fim, para mais notícias sobre o Facebook ou outras tecnologias, clique aqui.