no , , , , ,

Desenrola ou Renegocia: conheça as DIFERENÇAS entre os programas

Cidadãos estão confusos sobre qual a diferença entre o Desenrola e o Renegocia, ambos programas do governo de renegociação de dívidas. Esclarecemos essa dúvida para você!

Desenrola ou Renegocia: conheca as DIFERENCAS
Desenrola ou Renegocia: conheca as DIFERENCAS

O Desenrola e o Renegocia são dois programas de negociação de dívidas lançados esse ano pelo governo federal e ao que parece, muitos cidadãos e cidadãs estão confusos sobre qual a diferença entre eles e qual seria o mais indicado para negociar suas dívidas.

De acordo com o Serasa, no início do ano, 75% dos consumidores(a) brasileiros(a) estavam com o nome lista de devedores. É muita gente!

Atualmente, após 3 meses do lançamento do Desenrola e do Renegocia, esse número caiu para 45%, ou seja, 70 milhões de brasileiros. Muita gente ainda.

Ambos os programas foram lançados com o objetivo de ajudar esses milhões de consumidores a quitarem suas dívidas e assim, sair da lista de devedores.

Portanto, vamos conferir a seguir quais sãos as diferenças entre ambos os programas, para que você possa decidir qual a melhor opção para você negociação suas dívidas e entrar 2024 com o nome limpo.

Desenrola e Renegocia: conheça as diferenças

O lançamento oficial do Desenrola foi no dia 17 de julho e o programa tem seu foco na renegociação de dívidas bancárias, principalmente aquelas que estão negativadas.

Portanto, o principal objetivo do Desenrola é ajudar o contribuinte a limpar seu nome, concedendo a ele um novo recomeço financeiro.

Renegocia tem uma outra proposta, mais abrangente, com foco nas pessoas super endividadas, ou seja, que já possuem uma parte significativa dos seus rendimentos comprometidas com pagamento de dívidas.

O programa tem um formato de mutirão, que conta com o apoio de 900 Procons, Defensorias e Ministérios Públicos nos 26 estados do país e no Distrito Federal, para ajudar os brasileiros a limpar o nome.

O lançamento do Renegocia foi feito pelo Ministro da Justiça e Segurança Público, Flavio Dino (PSB), no dia 24 de julho, apenas uma semana após o lançamento do Desenrola.

Mas as diferenças entre os dois programas não param aí. Por exemplo, no Desenrola, só é possível fazer a negociação das dívidas com as empresas ou instituições que aderirem ao programa.

Além disso, através do Desenrola só é possível negociar dívidas com um valor de até R$ 5 mil.

Enquanto que no Renegocia, não há limite de renda ou do valor da dívida. Também não é necessário a adesão da empresa credora ao programa para que se abra uma negociação.

O Procon vai procurar todas as empresas com as quais os cidadãos possuírem dívidas para uma tentativa de negociação.

Dessa forma, se você já está com o seu orçamento completamente comprometido e não tem mais de onde tirar recursos, o Renegocia pode ser a melhor opção para você.

Para aderir ao programa é preciso comparecer presencialmente a qualquer um dos órgãos de defesa do consumidor da sua cidade, como por exemplo:

  • Procon
  • Ministério Público
  • Defensoria Pública.

A negociação está na mesa

A primeira coisa a fazer antes de começar a negociação da dívida é estar de posse de algum documento que comprove a existência da dívida. Pode ser um boleto de alguma parcela, um carnê ou até mesmo um extrato.

Um dos focos do Renegocia é negociação de dívidas de pessoa física, entre elas dívidas bancárias, de lojas, de água e de luz, independentemente do valor.

Ainda existe a possibilidade de se cadastrar no portal oficial do programa e você mesmo(a) fazer a proposta diretamente para a empresa.

Caso não der certo, aí você pode recorrer a negociação pelo Procon.

Se livrando das dívidas

Uma outra proposta do programa é fornecer orientação financeira para evitar futuros endividamentos.

A ação tem o foco no que eles chamam de “mínimo existencial”, que seria um valor mínimo necessário para que uma pessoa possa sobreviver.

Até o ano passado, esse valor, que era determinado por decreto, era R$ 303 por mês. Entretanto, esse ano o valor sofreu um reajuste e agora é de R$ 600, o mesmo valor base do Bolsa Família.

Sendo assim, mesmo que a pessoa esteja extremamente endividada, ela tem o direito de receber pelo menos R$ 600 dos seus vencimentos, desde que ganhe até um salário mínimo ou dois.

Portal do Programa Desenrola, aqui.

Portal do Programa Renegocia, aqui.

Por fim, para mais notícias sobre programas de descontos do governo, clique aqui.