no

Bolsonaro e o medo do TSE torná-lo inelegível

Segundo aliados próximos ao ex presidente, assim como quando perdeu as eleições, Bolsonaro está inconformado com processos no TSE que caminham no sentido de torná-lo inelegível.

Bolsonaro e o medo do TSE torna-lo inelegivel
Bolsonaro e o medo do TSE torna-lo inelegivel

O ex presidente Jair Bolsonaro (PL), o autointitulado, Imbrochável, vê a cada dia que passa, o seu projeto Pink e Cérebro de conquistar o mundo, no caso, o Brasil, escorrer pelo ralo por conta dos processos que responde no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Após ser derrotado nas eleições de 2022 e a frustrada tentativa Tabajara de golpe de estado dos seus fanáticos seguidores, com direito a Minuta do Golpe, bomba em posto de gasolina, orações para Et´s e tudo mais, agora Bolsonaro se aproxima de ficar inelegível.

O Imbrochável é alvo de dez ações no TSE, que visam a cassação de sua candidatura ou de um eventual novo mandato em caso de reeleição.

Nos processos, políticos e partidos o acusam de abuso de poder na campanha, principalmente do uso da máquina pública.

Assim, a opção que restou ao desmoralizado ex presidente e líder da extrema direita brasileira, é se apresentar ao TSE como vítima de perseguição política.

Bolsonaro responde a 10 processos no TSE que podem torná-lo inelegível

De acordo com aliados próximas de Bolsonaro, o Imbrochável não se cansa de lamentar que sofre perseguição política.

Assim, partindo desse pressuposto, a estratégia que Bolsonaro irá usar durante sua defesa no TSE é de que ele seria “vítima do sistema”.

E no caso de derrota no TSE, vai recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal).

Não tem chance em nenhuma das duas cortes!

Até porque, é bom lembrar, que Bolsonaro será julgado pelo Tribunais e juízes que ele mesmo atacou.

De acordo com a colunista da Folha SP, Mônica Bergamo, Bolsonaro vai recorrer de todas as formas possíveis, mesmo em caso de condenação.

Inclusive, ele não descarta futuramente, após o ministro Alexandre de Moraes sair da presidência do TSE, entrar com um novo recurso.

O filho 01 de Bolsonaro, o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ) disse que o pai será o “maior cabo eleitoral da história”.

A fala do 01, e um exemplo da abordagem de vítima que o ex presidente Fujão vai usar.

Os julgamentos que podem tornar inelegível Bolsonaro, podem começar ainda nesse mês de abril.

PL, que tentou boicotar as eleições, defende ex presidente Imbrochável

O presidente do PL, Valdemar Costa Neto, teve uma condenação em 2013 pelo STF a sete anos e dez meses de prisão e multa que passou de R$ 1 milhão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A saber, Valdemar, o mesmo que levou uma multa de R$ 22 milhões por ter questionado, sem provas, o resultado do 2° turno das eleições presidenciais, disse que o processo do Ministério Público Eleitoral que pede a inelegibilidade de Bolsonaro é “absurdo”.

Entre os argumentos da base bolsonarista que que haveria uma perseguição ao líder da extrema direita brasileira, estão:

– a rapidez do processo, em comparação com o julgamento da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), que demorou mais de dois anos até a decisão final.

– o fato de terem colocarem novas informações sobre os ataques golpistas de 8 de janeiro. Á época, os apoiadores de Bolsonaro insatisfeitos com o resultado eleitoral depredaram a sede dos três Poderes.

O documento que a defesa de Bolsonaro apresentou possui 70 páginas e a assinatura do advogado e ex-ministro do TSE Tarcísio Vieira de Carvalho Neto.

Os advogados afirmam ainda que o ex-presidente nem sequer estava no Brasil quando se desenrolou o episódio –Bolsonaro viajou para os Estados Unidos em dezembro passado, antes do final do mandato, ignorando o rito democrático de passar a faixa para o sucessor.

Para mais notícias sobre o ex presidente Bolsonaro, clique aqui.